sexta-feira, julho 28, 2006

...para pensar...

«(...) é preciso não distinguir entre "cívis" bons e maus, ou mais e menos relevantes. Repare que, quando se deram os atentados em Bombaim, com uma carnificina muito superior à de Londres ou Madrid, pouca gente ligou. No terceiro mundo, os massacres são tratados como uma peça da normalidade...»

Nuno Rogeiro
in Jornal de Notícias

quinta-feira, julho 27, 2006

terça-feira, julho 25, 2006

mais arte...

...e quando forem à praia, cuidado onde põem os pés!
Porque a arte pode estar em qualquer lugar... e fazer o que estes senhores fazem a partir da areia é de facto impressionante!






















Fotos :: Vitor Reis

sexta-feira, julho 21, 2006

Musica no esquisso!

Porque o esquisso-a4 é um blog dedicado às artes, todas sem excepção, fica aqui algo que já vinha faltando: Música!!

Quem não se lembra do filme Philadelphia?!
Quando se fala neste filme, nomeadamente na sua banda sonora é inevitável pensarmos na "Streets Of Philadelphia" de Bruce Springsteen. Mas para mim há uma música mais significativa!

Lembram-se como acabava?!
Um triste final, com uma música que embora também triste, transmite calma e paz!
É como se acabássemos por aceitar as coisas como elas são. Boas e Más!


Neil Young - Philadelphia

Sometimes I think that I know
What love's all about
And when I see the light
I know I'll be all right.

I've got my friends in the world,
I had my friends
When we were boys and girls
And the secrets came unfurled.

City of brotherly love
Place I call home
Don't turn your back on me
I don't want to be alone
Love lasts forever.

Someone is talking to me,
Calling my name
Tell me I'm not to blame
I won't be ashamed of love.

Philadelphia,
City of brotherly love.
Brotherly love.

Sometimes I think that I know
What love's all about
And when I see the light
I know I'll be all right.
Philadelphia

quarta-feira, julho 19, 2006

"Sem Titulo" :: Fotografia










Manuel Silva Carvalho










"Sem Titulo"

...entrelinhas...

(sobre a vida) «O inicio é assustador, o fim é triste, o melhor é o que está no meio»


in "No Amor e na Guerra"
(filme, EUA, 1997 Richard Attenborough - baseado no livro de Ernest Hemingway)

segunda-feira, julho 17, 2006

sexta-feira, julho 14, 2006

"Grafitti" :: Fotografia

"Vandalismo?! (ou não) ...talvez amor!?"







Ana Guerreiro
Atlantys

quinta-feira, julho 13, 2006

As curtas da 2, Spoon Jackson e os EUA

Ontem, no "Onda Curta", programa de curtas metragens da "2", vi um filme que me impressionou. Sobre a vida de Spoon Jackson, poeta americano, nos longos anos em que cumpriu pena. É bom lembrar que as prisões é um dos mais rentáveis negócios do estado Norte Americano. Talvez por isso Spoon Jackson cumpriu talvez o dobro do tempo que deveria ter cumprido, caso tivesse dinheiro suficiente para comprar a sua "liberdade".

E.U.A., esse pais que tem tanto de bom como de mau! Ainda sobre isto e sobre a atitude deste pais, bem como outras grandes potências, deixo para pensarem e comentarem um pequeno excerto do "Schools" ultimo poema desta "curta".


«I think of the Children
of Angola
given no fresh water
but sold Coca Cola»

"penso nas crianças de Angola,
a quem não dão água
mas vendem Coca Cola"



A curta metragem é a seguinte, vejam se tiverem oportunidade que vale a pena:
THREE POEMS BY SPOON JACKSON/ TRÊS POEMAS DE SPOON JACKSON
Michel Wenzer, Sweden - Suécia, 13m 41s, 2003

croqui

www.spoonjackson.com

quarta-feira, julho 12, 2006

em destaque :: Museu Internacional de Escultura Contemporânea de Santo Tirso ao Ar Livre








Peter Klasen









O Museu Internacional de Escultura Contemporânea ao Ar Livre de Santo Tirso, é constituído por um conjunto de esculturas, realizadas por artistas nacionais e estrangeiros de prestígio internacional, localizadas em diferentes espaços públicos do município. Elaboradas a partir de materiais clássicos (como o granito, que é típico da região) ou não convencionais (como o aço), as esculturas fazem parte de uma exposição permanente e ao ar livre. Este Museu, único no país, possibilita o contacto fácil do público com peças artísticas, fazendo dos jardins novos espaços de comunicação pela arte.








Um Tai Jung









História do Museu

O primeiro simpósio internacional realizou-se em 1991. Este projecto consiste em dotar o município de um acervo de arte pública, ao exemplo de outros projectos como o “Skulptor Projekt” (Munster, Alemanha). Elaboradas a partir de materiais clássicos (como o granito, que é típico da região) ou outros (como o aço, mármore ou ferro), as esculturas fazem parte de uma exposição permanente ao ar livre que até ao ano de 2009 integrará 60 esculturas. É aprovada em reunião de Câmara, a 20 de Novembro de 1996 a constituição do Museu Internacional de Escultura Contemporânea, instituição que tem por função a realização dos simpósios bienais de escultura e assegurar ainda a manutenção e conservação das esculturas, proceder à divulgação e dinamização das actividades realizadas. O Museu é formalmente inaugurado em 1997 pelo Presidente da república, Dr. Jorge Sampaio. O “Organigrama funcional do Museu Internacional de Escultura Contemporânea” é aprovado em 11 de Março de 1998, redefinido-se a estrutura e competências dos vários espaços que integram o Museu.










Hang Chang Jo










in cm-stirso

terça-feira, julho 11, 2006

...entrelinhas...

«Vais viver amanhã? Sábio é aquele que viveu ontem!...»

segunda-feira, julho 03, 2006